Ai Ai ou Au Au? A Dor nos Animais

É muito interessante falar de dor em animais pelo seguinte motivo: eles têm a mesma estrutura de captação dos estímulos nocivos, as vias de transmissão, as áreas do cérebro, comportamentos parecidos, mas é ainda muito difícil avaliar as experiências de dor em animais.

Para tentarmos entender essa dúvida cruel, pesquisadores estudam justamente como o animal interpreta a dor. Cada vez menos acredita-se que o bichinho fofinho tenha componentes emocionais envolvidos e que seja uma resposta puramente física e instintiva.

A dor é uma experiência primitiva, ou seja, provoca reações animais nos seres humanos também: lutar, fugir, se esconder, se encolher. O que vier na telha no momento. Basta escolher o que vai ser feito.

Muitas situações podem provocar dor nos bichos, da mesma forma que nos humanos: traumas, tumores, doenças, infecções, inflamações ou até mesmo a dor se tornar crônica por problemas nos nervos, músculos e articulações. A expectativa de vida dos bichos aumentou muito, então o tempo de permanência com os problemas também aumentou.

Não temos como saber o quanto de dor o animal está sentindo, onde, como e o quanto é severo.

Vamos aos tópicos:

Possibilidade de ocorrer alguma lesão

Temos um sistema que é capaz de detectar os estímulos nocivos, o chamado sistema nociceptivo. É tipo um sensor que temos em todos os tecidos do corpo (músculos, nervos, ossos, vísceras) que é capaz de informar a central de informações (sistema nervoso) qualquer estímulo nocivo. Ex. água muito quente, superfície áspera, pedrinhas no pé, barulhos estranhos. Posso passar o dia fazendo isso. Mas os bichos também tem alguma coisa disso.

Os animais invertebrados (grilo, aranha, mosquito) possuem apenas reações aos estímulos nocivos (estímulo – resposta) e não tem cérebro para interpretar essas informações. Ou enchem o seu saco a noite inteira ou vão lá morder ou picar o seu dedão do pé direito (pé da sorte). Em contrapartida, sempre tem o do contra, a lesma e a sanguessuga tem todo esse sistema inteiro. Agora, se usam ai é outra história.

Já os animais vertebrados (peixes, anfíbios, répteis, aves) são capazes de processar a dor no cérebro. Possuem medula, tálamo e sistema límbico. Mas o que faz a diferença é o córtex cerebral que no ser humano é grande e nos outros animais é pequeno. O córtex, para que não sabe, fica na parte mais de fora do cérebro e é responsável pela memória, pensamentos, atenção, consciência, linguagem e percepção. Juntando isso tudo, os animais vetebrados usam o sistema opióide para controlar a dor.

Se sente dor eu não sei, mas que tá tirando o maior catotão isso sim.

Comportamentos

Algumas reações dos animais a dor:

- protegem a região dolorida, se encolhendo, lambendo

- comem menos

- mudam sua rotina diária estilo animal doméstico Garfield (comer, dormir, dormir, comer, dormir)

- interagem menos com o dono e afins

- ficam mais quietos no canto ou mais cansados facilmente

- aumento da respiração e batimentos cardíacos

- auto mutilação

- ficam mais agressivos ou tímidos

- ficam com cara de triste e apático – cara de bunda do dono

- latem, miam, rangem, reclamam e podem ficar mais carentes

Olha que engraçado. Não ficamos assim quando temos dor???

Os peixinhos, por exemplo, tem o sistema de alarme igual ao do ser humano. Em algumas pesquisas, deram morfina para testar a reação a dor. Que que aconteceu??? Ficaram doidões e cantaram “fool around, and find a new emotion, fool around, just driving by the ocean, fool around, so good if you come” http://www.youtube.com/watch?v=kQ_Aajbbv8s (mas sem dor).

Emoções dos bichinhos com dor

Estudos mostram que macacos, cães, gatos e pássaros podem mostrar reações emocionais e ficar deprimidos pela dor. Não precisava de muita ciência. Quem tem algum bicho em casa sabe muito bem como é.

Só que para ter dor, precisamos de consciência. Mas, poucos animais são capazes de demonstrar consciência, o que é necessário para interpretar a experiência e chamá-la de dor. Claro que isso é muito controverso. Se o animal pode reagir, porque não sentir, se muitos deles têm cérebro, mesmo pequeno? Se eu digo isso para a mãe da minha namorada e para ela também serei deportado imediatamente.

Alguns exemplos

- crustáceos – é possível que a lagosta use os opióides próprios para controlar a suposta dor da mesma forma que os animais vertebrados. Vai acabar cantando “fool around” com os peixes. Certamente o Homer Simpson não pensou nisso.

- Peixes – pelas reações ao usarem a morfina, eles então sofrem alguma dor quando são pescados. Liberam hormônios de estresse. Pense bem antes de comer novamente aquele Pirarucú gigante.

- Cães e Gatos – os sinais de dor são sutis. O gato esconde mais a dor e procura regiões mais frias do local onde está.

- Baratas, Formigas, Cupins e Mosquitos – sei lá mesmo, mas ninguém pensa duas vezes antes de matar.

Para terminar

Não tenho nenhuma experiência com animais, só seres humanos e olhe lá. Nunca tive bichos por muito tempo. Apenas quando tinha feira de animais no Shopping Rio Sul todo mundo ganhava peixinhos ou pintinhos. Os meus peixinhos apareciam na manhã do dia seguinte mortos do lado da TV. Acho que não aguentavam a pressão da casa. Os pintinhos rapidamente foram doados porque comiam e defecavam o dia inteiro. Já deve há muito tempo terem virado um monte de ossos. Lembrei também que tive dois gatos: pancho e a lola. Fizemos muitos treinamentos de guerrilha e sobrevivência doméstica, principalmente de como sair de situações drásticas: de cima do armário, de dentro do armário, de dentro de uma caixa, ao serem rodados 10 vezes e por ai vai. HÁ!

Um ponto super importante, vendo como o ser humano se comporta com um bicho, principalmente os de estimação, é que praticamente os tratamos como um ser humano.

Comem nossa comida

bebem nossa bebida

dormem na nossa cama

tomam banho junto

alguns usam a privada

passeiam com a gente e pintam o cabelo

vestem nossa roupa

vão ao dentista

fazem protestos frequentes

atacam a geladeira

ficam parecidos com o dono

Que mais eu poderia dizer? Tomam até banho de ofurô.

O pior é fazer aniversário e cantar parabéns com direito a chapeuzinho e bolo.

Ninguém merece. Tem até psicólogo (zootecnista). Muito dos bichos estarem assim é culpa nossa.

Enfim, qualquer mudança no comportamento do seu bichinho leve logo no veterinário, que não precisa ser um médico.

Links sobre matérias muito interessantes.

http://synararillo.com.br/?p=424

http://veja.abril.com.br/noticia/variedades/fique-olho-humor-seu-animal-domestico-492470.shtml

http://www.wellcome.ac.uk/en/pain/microsite/culture2.html

Até a próxima

Abraços

Artur Padão Gosling – Pada

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>